Crise dos combustíveis: segurança, educação e saúde são prioridade, diz Governo de PE

Segundo Campos, estrutura montada garante os serviços

Segundo Campos, estrutura montada garante os serviços Foto: Gustavo glória

A prestação de iversos serviços também sofre com os reflexos da continuidade da paralisação dos caminhoneiros. O Governo do Estado e prefeituras tentam garantir a manutenção de serviços básicos, principalmente, nas áreas de segurança, educação e saúde. No entanto, a ameaça da greve deixa aceso o sinal de alerta para os riscos futuros.

Por meio de uma central de controle, o Governo do Estado monitora todas as unidades de saúde de Pernambuco, o nível de combustível para as ambulâncias, o envio de insumos e vacinas e a presença dos profissionais nos postos de trabalho. Segundo a assessoria da Secretaria de Saúde, a gestão não trabalha com a hipótese de suspensão de serviços. “Está se montando toda uma estrutura. Estamos com esquema de abastecimento, principalmente com a frota da saúde, do transporte público e da segurança pública”, afirmou o secretário estadual da Casa Civil, André Campos.

A Prefeitura da Cidade do Recife (PCR) estabeleceu como prioridades o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), as maternidades e o atendimento de serviço prioritário e emergenciais. A gestão municipal determinou que os serviços de veículos fossem priorizados para essas áreas reduzindo a frota para serviços administrativos. A PCR também faz uma análise diária da situação da rede municipal.

Educação
O Governo de Pernambuco mantém o funcionamento de todas as escolas da rede estadual e o transporte de estudantes para as unidades de ensino. Na rede privada, não há uma orientação específica. A Universidade Federal de Pernambuco, a Universidade Federal Rural de Pernambuco, a Universidade de Pernambuco e a Universidade Católica de Pernambuco mantiveram a suspensão das atividades pelo segundo dia consecutivo.

Justiça
Os principais órgãos do Judiciário do Estado suspenderam as atividades. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE), o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o Tribunal Regional do Trabalho da Sexta Região (TRT-PE), o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) e a primeira instância da Justiça Federal não terão expediente nas unidades administrativas e judiciais.

Água
Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) solicitou que a população tenha “uma maior atenção ao uso racional da água até a paralisação do movimento” grevista. A empresa enfrenta dificuldade no abastecimento de produtos químicos e na execução dos serviços de manutenção nas redes de abastecimento de água.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

 
Scroll To Top