Pernambuco lança edital de programa para dessalinizar água salobra no semiárido

O programa pode beneficiar cerca de 60 mil pessoas em 21 municípios do semiárido do Estado / Foto: Divulgação
O programa pode beneficiar cerca de 60 mil pessoas em 21 municípios do semiárido do Estado Foto: DivulgaçãoJC Online – Com Agência Brasil

O Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, lançou nesta segunda-feira (13) licitação para a instalação do Programa Água Doce, que prevê a instalação de 170 sistemas de dessalinização em poços de água salobra. A expectativa é que o programa possa beneficiar cerca de 60 mil pessoas em 21 municípios do semiárido do Estado.

O Programa Água Doce é uma ação coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, executada em parceria com o Estado. O edital foi publicado nas edições de sábado do Diário Oficial da União e Diário Oficial do Estado. O projeto está orçado em R$ 36,9 milhões, sendo R$ 33,2 milhões da União e R$ 3,7 milhões de contrapartida do Estado.

De acordo com o secretário Dilson Peixoto, o programa integra um conjunto de ações com foco na melhoria da infraestrutura hídrica no Agreste e Sertão do estado. “Além do Programa Água Doce, em 2019 entregamos 2.944 cisternas de 16 mil e 52 mil litros e, ainda neste mês de janeiro, devemos assinar a ordem de serviço do Programa de Integração do Rio São Francisco (Pisf), que vai beneficiar 12 mil pessoas residentes em comunidades localizadas a até cinco quilômetros dos canais Norte e Leste da Transposição do São Francisco”, destacou.

A instalação dos sistemas foram divididas em três lotes, contemplando os municípios de Águas Belas, Iati, Manari, Paranatama e Venturosa (Lote 1), Alagoinha, Caetés, Capoeiras, Cumaru, Frei Miguelinho, Jataúba, Riacho das Almas, Salgadinho, Sanharó, Santa Maria do Cambucá e Vertente do Lério (Lote 2) e Afrânio, Dormentes, Santa Cruz e Trindade (Lote 3). A previsão para conclusão das obras é de 12 a 24 meses, de acordo com o cronograma de execução dos serviços. Após a instalação dos sistemas, o programa prevê também a manutenção básica durante 12 meses, período em que as comunidades devem ser capacitadas para assumir a manutenção dos equipamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

 
Scroll To Top