Garotinho usa a Globo para atacar a Globo

O deputado Anthony Garotinho (PR), candidato ao governo do Rio, usou espaço concedido pela TV Globo para entrevista com candidatos no telejornal ‘RJTV’ para atacar a emissora. Garotinho citou casos envolvendo a TV Globo para se defender das acusações de que é alvo.

Confira a entrevista completa: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/eleicoes/2014/noticia/2014/09/rjtv-entrevista-anthony-garotinho-candidato-ao-governo-do-rj.html

‘Acusação todo mundo tem. Agora mesmo acusaram a Globo de estar envolvida num desvio milionário com laranjas em paraísos fiscais. Eu não sei se a Globo é culpada, até acho que é. Mas é uma opinião minha, quem vai dizer isso é o juiz. Disseram que a Globo sonegou bilhões. É para ver como as injustiças acontecem. A Globo pode estar sendo vítima de uma injustiça’, afirmou o candidato.

A emissora foi multada, em outubro de 2006, em R$ 615 milhões por supostas irregularidades na compra de direitos de transmissão da Copa de 2002. Segundo fiscais da Receita Federal, a emissora fez manobras para não pagar R$ 183 milhões em Imposto de Renda. A Receita não aceitou a defesa da emissora, que, em 2009, aderiu ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) e parcelou seus débitos.

Coube à apresentadora Mariana Gross dar a posição da emissora após a entrevista com o candidato. ‘A TV Globo nada sonegou. A TV Globo paga seus impostos’. Garotinho também ironizou a emissora ao lembrar a autocrítica feita pelas Organizações Globo por seu apoio editorial à ditadura militar.


Parlamentares criam projetos de lei batizando estatais com nome de Eduardo Campos

Foto: Bernardo Soares/JC Imagem

Para homenagear o ex-governador Eduardo Campos (PSB), que faleceu no último dia 13 de agosto em um acidente aéreo, deputados e vereadores de Pernambuco propuseram oito projetos de lei para batizar obras estatais com o nome do político.

Na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) sete projetos estão em tramitação para batizar com o nome do ex-presidenciável instituições públicas e obras em andamento. Na Câmara dos Vereadores do Recife foi proposto um projeto com a mesma intenção.

Cinco dias após a tragédia que vitimou o ex-governador, o vereador Felipe Francismar (PSB), marido de Marília Arraes, prima de Campos e neta de Miguel Arraes, lançou o primeiro projeto com a proposta de rebatizar a Avenida Celso Furtado, conhecida como Via Mangue, com o nome de Eduardo Campos.

Na Alepe, sete deputados da base aliada do ex-governador apresentaram propostas semelhantes. O deputado estadual Ricardo Costa (PMDB) é autor do primeiro PL (número 2083), de 19 de agosto, que institui a categoria Mérito Político Governador Eduardo Campos entre as comendas da Medalha Leão do Norte.

João Fernando Coutinho (PSB) propôs  denominar de Complexo Turístico Portuário Governador Eduardo Campos as edificações do Porto do Recife, Terminal de Passageiros, Museu Cais do Sertão e Centro de Artesanato de Pernambuco.

Raquel Lyra (PSB), quer chamar (PL 2100) de Governador Eduardo Campos a barragem Una dos Cordeiros, em São Bento do Una.

O ex-secretário de Turismo Alberto Feitosa (PP) protocolou projeto para dar o nome de Eduardo à estatal Empresa Pernambucana de Turismo (Empetur).

Waldemar Borges, líder do governo, sugere agregar o nome de Eduardo à Companhia Editora (CEPE).

Aliada de primeira hora do ex-governador, a ex- secretária de Desenvolvimento Social Laura Gomes (PSB) propôs incorporar o nome do socialista à Adutora do Agreste, que tem recursos federais.

O PL mais recente tem como autor o ex-secretário de Articulação Regional Aluísio Lessa (PSB). Agrega o nome de Eduardo ao Hospital do Câncer, que atende pelo SUS e foi reestruturado pelo ex-governador.


Não é discurso. É vida!

Do Blog do Magno

A fala de Marina Silva em Fortaleza, exibida na propaganda eleitoral da última terça-feira, mexeu com muita gente. Tocou mentes e corações, fez muitos telespectadores irem às lágrimas. Atacada de forma covarde por Dilma e sua claque, que propagam mentiras, como a de que acabaria com o Bolsa-Família, Marina fez um desabafo emocionante.

“Dilma, você fique ciente: não vou lhe combater com as suas armas, mas com a verdade, com as nossas propostas. Nós vamos manter o bolsa-família. E sabe por que?  Porque eu nasci lá no Seringal bagaço e sei o que é passar fome. Tudo que minha mãe tinha para oito filhos era um ovo e um pouco de farinha e sal com umas palhinhas de cebolinhas picadas”, contou.

Para acrescentar: “Lembro de ter olhado para o meu pai e minha mãe e perguntado: vocês não vão comer? Minha mãe respondeu: nós não estamos com fome. E uma criança acreditou naquilo, mas depois entendi que há mais de um dia que não comiam. Quem viveu esta experiência jamais acabará com o bolsa-família. Não é um discurso, é uma vida”.

A sinceridade esboçada por Marina contagiou homens e mulheres de bens, que andam chocados com as agressões que o PT e a própria Dilma vêm praticando para desconstruir a candidata socialista, por ser ela uma ameaça real de poder, a única que pode fazer uma revolução de métodos, provocando a chamada alternância de poder.

Dilma e seu marqueteiro João Santana não param de inventar calúnias, inverdades. Todos os dias há um capítulo diferente e igualmente mentiroso. O mais recente é o de que Marina vai acabar com o FGTS, o 13º salário, férias e horas extras. O PT não fala mais em propostas, a ordem é aniquilar o inimigo perigoso que bateu à porta.

É muito fácil difundir mentiras com um tempo de televisão dez vezes maior do que o do adversário. “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”, ensinou Joseph Goebbels, ministro da propaganda de Hitler. É isso que o PT está perseguindo para exterminar Marina.

Mas não custa nada lembrar que Hitler exterminou a vida de mais de seis milhões de judeus.


FETRAF-PE declara apoio a Paulo Câmara

5419eaf6eb5c2.foto-wagner-ramos17.face

Em visita ao Congresso da Agricultura Familiar na cidade de Belo Jardim, o candidato ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), recebeu apoio a sua candidatura da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Pernambuco – Fetraf/PE.  A entidade, que possui representação em 152 municípios pernambucanos, também confirmou engajamento às postulações de Fernando Bezerra Coelho, ao Senado, e Marina Silva, à Presidência da República. O ato contou com presença de mais de três filiados.

“Paulo, nós estamos aqui porque confiamos e acreditamos que você trabalhará, assim como fez o ex-governador Eduardo Campos, para fortalecer a agricultura familiar em Pernambuco. O nosso apoio é baseado no que já foi feito e no que temos certeza que será feito no seu futuro governo”, declarou o presidente da instituição, João Santos.

Paulo agradeceu o apoio recebido, destacando que trabalhará arduamente para fortalecer as atividades do campo no Estado, sobretudo as realizadas em pequenas propriedades. “Só tenho a agradecer a vocês porque a agricultura familiar ajudou muito no crescimento de Pernambuco. Vocês ajudaram Eduardo, e eu vou ter a responsabilidade de avançar ainda mais para termos mais condições no campo, com locais adequados para a comercialização da produção e a infraestrutura necessária”, apontou Paulo.

O socialista apontou o desafio da universalização da água como uma das prioridades do seu futuro governo. “E eu vou ter um companheiro importante no Senado, com Fernando Bezerra Coelho, e na Presidência da República, com Marina Silva, para conquistarmos obras importantes que levem água para todo o Estado”, frisou.


Já era

Segundo Cláudio Humberto em sua coluna no Diário do poder, O PT dá como certa a derrota de Armando Monteiro (PTB), na disputa pelo governo de Pernambuco. Vai tentar “salvar” o petista João Paulo, empatado com Fernando Bezerra (PSB) na briga pelo Senado.


Antes de morrer, promotor de Itaíba diz ter sido ameaçado por fazendeiro

Thiago foi morto a tiros durante emboscada na PE-300, em outubro do ano passado /

Antes de ser executado com quatro tiros de espingarda calibre 12 no rosto e pescoço, o promotor de Itaíba Thiago Faria Soares, 36 anos, formalizou junto ao Conselho Superior do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) denúncia de ameaça praticada pelo fazendeiro José Maria Pedro Rosendo Barbosa. Mas, contraditoriamente, não pediu ao Estado garantia de vida ou proteção policial. A conselheiros do colegiado, ele contou que já havia relatado a parentes da sua noiva, a advogada Mysheva Martins, as intimidações de Zé Maria, como é conhecido o suspeito de ser o mandante do crime. Para Thiago Faria, a iniciativa já era suficiente para deixá-lo em segurança devido à influência e ao poder da família na região. No dia 14 de outubro de 2013, porém, ele sofreu um emboscada, 18 dias antes do seu casamento.

Com base na denúncia de ameaça do fazendeiro, que teria agido em retaliação por te sido obrigado pela Justiça a deixar a Fazenda Nova, objeto de um espólio e depois arrematada em leilão por Mysheva, a Polícia Civil passou a considerar Zé Maria o principal suspeito de ter encomendado a morte de Thiago Faria. Promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MPPE, concordavam com a avaliação. Mas consideravam que outras duas linhas também deveriam ser adicionadas à investigação. A partir daí, nasceu a discordância entre delegados e promotores que prejudicou o andamento do inquérito e levou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) a repassar o caso para a Polícia Federal. Pelo terceiro dia seguido, o JC divulga detalhes até então desconhecidos do crime que ganhou repercussão nacional.

Antes de ser assassinado, Thiago Faria estava submetido a processo de remoção compulsória e, a partir de novembro, depois do casamento, deixaria Itaíba e passaria a exercer as funções no município de Jupi, também no Agreste. O motivo da transferência foi o fato de ele ter se julgado suspeito de atuar em 16 processos de improbidade administrativa envolvendo a família da então noiva, como rejeição de contas e aplicação irregular do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), por exemplo.

Das três reuniões que participou na Corregedoria-Geral do MPPE, convocado para explicar o porquê de tantos pedidos de suspeição, Thiago Faria foi acompanhado de Mysheva a duas delas. Delegados e promotores interpretaram a presença da noiva em reuniões estritamente de trabalho como sinal inequívoco de influência que exercia sobre a vítima, natural do Rio de Janeiro e nomeado como titular da Comarca de Itaíba em dezembro de 2012.

A formalização da denúncia de ameaça praticada por Zé Maria foi feita ao Conselho Superior do MPPE depois que Thiago Faria foi chamado para dar explicações à Corregedoria-Geral da instituição. Foragido desde o dia do crime, o fazendeiro se manifestou sobre o caso apenas em duas ocasiões, sempre por meio da gravação e divulgação de vídeo. Na primeira filmagem, ele se disse inocente e negou atrito com o promotor. Na segunda, acusou Mysheva de ter sido a mentora do crime. A polícia, porém, sempre tratou publicamente a advogada como testemunha ocular, e nunca como suspeita do homicídio.

Thiago Faria dirigia seu veículo, um Hyundai modelo Vera Cruz, pela PE-300, quando foi executado. A rodovia liga Águas Belas, onde ele morava, a Itaíba. O promotor estava acompanhado da noiva e de um tio dela. Os dois escaparam sem ser atingidos. Pela reconstituição do crime feita por peritos, chegou-se à conclusão que foram três homens que armaram a tocaia, e não dois como dito inicialmente. O veículo usado foi, provavelmente, um Corsa quatro portas. O carro e a arma que vitimou o promotor até hoje não foram encontrados.


Operação Polígono prende traficante em arcoverde

Com uma atuação muito dinâmica no sertão do estado, as guarnições da Operação Polígono do 3º BPM se desdobram diariamente na luta contra o tráfico de drogas. Esta Operação foi ativada justamente com a finalidade de agir no polígono da maconha, o qual compreende em grande parte as regiões ribeirinhas do São Francisco, de onde sai grande parte das drogas consumidas nos centros urbanos.

Na manhã desta quarta-feira, 17 de setembro de 2014, duas guarnições da Polígono faziam um ponto de bloqueio às margens da BR-232, na altura do Km 256, logo no primeiro acesso da cidade de Arcoverde-PE, ocasião em que os Policiais Militares abordaram o veículo FIAT/Ducato, de placas LVB-8067, cor branca, o qual estava sendo conduzido por José Nelson Gomes Luna, loteiro, encontrando no interior da citada Van 4,420 Kg da substância popularmente conhecida por maconha pronta para o consumo.

Ao interrogar os passageiros sobre a propriedade da referida droga, foi identificado como traficante a pessoa de Valdeilson Firmino da Silva, 28 anos de idade, solteiro, agricultor, residente na Rua Rafael de Freitas, nº626, bairro das Lajes, Ibimirim-PE. O imputado confessou que a bolsa e a droga lhes pertenciam. Valdeilson é ex-presidiário e foi autuado em flagrante delito, sendo conduzido ao Presídio Advogado Brito Alves em Arcoverde-PE. “As drogas têm sido uma das causas de destruição de várias famílias e nós, Policiais Militares, não baixaremos a guarda no combate a esse mal. Também agimos preventivamente nas escolas com o Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência e o Patrulheiro Mirim, ambos da Polícia Militar de Pernambuco”, afirmou o Ten Cel PM Valme Zeferino, comandante do 3ºBPM.


Renata Campos, o trunfo da campanha

Do Diario de Pernambuco – Rosália Rangel

Da condição de esposa, mãe e militante política, a ex-primeira-dama do Estado Renata Campos passou a ser vista por uma ótica diferente. No dia 13 de agosto, ela saiu dos bastidores para conviver com uma nova realidade. Com a morte do ex-governador Eduardo Campos, em um acidente aéreo, na cidade de Santos, litoral de São Paulo, ela se transformou em uma espécie de “amuleto” para o partido e aliados. Passado mais de um mês do acidente, aumenta a expectativa sobre a participação dela na campanha do candidato da Frente Popular ao governo do Estado, Paulo Câmara (PSB).

Sobre esse assunto, socialistas mais próximos garantem que não existe estratégia definida. Nos bastidores comenta-se que Renata poderá ser acionada caso a campanha fique mais acirrada com o candidato Armando Monteiro Neto (PTB). Seria um trunfo guardado na manga na camisa.

Mesmo sem um planejamento, alguns reconhecem que a imagem da ex-primeira-dama poderá ser captada para o guia eleitoral em eventos de maior peso, a exemplo da visita da candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, na próxima terça-feira, ao interior do Estado.


Em campanha, Armando Monteiro visita terreiro em Olinda

Em disputa acirrada com o adversário Paulo Câmara (PSB), o senador Armando Monteiro Neto (PTB) visitou o terreiro Santa Bárbara Nação Xambá, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife, e ouviu demandas de representantes de religiões de matriz africana. O candidato foi acompanhado do vice, Paulo Rubem (PDT), e do candidato ao Senado, João Paulo (PT). A chapa foi recebida pelo babalorixá Ivo de Xambá.

Dentre as propostas apresentadas a Armando, o babalorixá pediu que se adaptasse à rede estadual de ensino a Lei federal que inclui na matriz curricular o ensino sobre a história e cultura afro-brasileira. “Queremos a estadualização da legislação”, disse Ivo de Xambá.

Outro pedido foi para que fosse instituído um capelão de religião de matriz africana na Polícia Militar (PM). A ideia é auxiliar no combate à violência e ao preconceito.

Armando, Paulo Rubem e João Paulo conheceram também a estrutura do terreiro e as atividades desenvolvidas no local. Segundo o babalorixá, o petebista foi o único candidato majoritário a visitar o terreiro. “Essa postura denota uma atenção com os interesses da população afro-brasileira”, afirmou.


Debate na TV Jornal: Quando empatar pode significar vencer

Foto: JC Imagem

Já ultrapassado nas pesquisas eleitorais, uma das saídas para o petebista Armando Monteiro Neto, nas próximas semanas, para reduzir ou reverter a desvantagem, será tentar abater o socialista Paulo Câmara nos debates na TV.

No primeiro debate televisivo, realizado pela TV Jornal, nesta terça-feira (16), ficou evidente que o petebista tem mais desenvoltura no vídeo, obtida ao longo de mais de 15 anos de vida pública, em embates no Legislativo e em várias campanhas eleitorais. Neófito nos palanques, não há quem esperasse do candidato socialista, um técnico tímido até ontem, desenvoltura semelhante ou superior ao rival, sendo sempre acusado de ser um “produto de marketing”.

Nesta noite, apesar de acossado pelos rivais, Paulo Câmara não saiu abatido. Assim, para quem busca manter-se na frente nas pesquisas, empatar já é bom negócio. No primeiro bloco, Paulo chegou a passar incólume, sem sofrer maiores questionamentos.

Debate da TV Jornal fica polarizado entre Armando e Paulo. Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem.

Penso que, mesmo com toda bagagem em embates no legislativo, o senador Armando Monteiro não conseguiu encurralar o socialista. Mesmo mantendo a tabelinha com o PSOL, o petebista não conseguiu detonar o opositor, como seria desejável, do ponto de vista da estratégia da campanha oposicionista. O risco de ser mais incisivo é parecer agressivo e autoritário.

Sem cometer deslizes ou gafes, Paulo Câmara também não fugiu do debate direto com o petebista, quando teve oportunidade, sem deixar de se apresentar como o candidato de Eduardo Campos, tido e havido como o maior cabo eleitoral do Estado, especialmente após sua morte, de acordo com os dados mais recentes da pesquisa do Instituto Maurício de Nassau.

O socialista pareceu ficar desconcertado mesmo quando confrontado sobre educação, no terceiro bloco, quando perguntado pelos jornalistas sobre a falta de estrutura na faculdade de odontologia, há oito meses sem aula, em Arcoverde. Como a resposta padrão do Ideb não funcionava neste caso, o socialista foi obrigado a reconhecer os erros e prometeu correção.

Prolixo em algumas oportunidades, o pior momento do petebista deu-se quando abordou a questão do avião de Eduardo Campos, questionando de forma genérica a concessão de benefícios fiscais para uma empresa que admitiu repassar recursos para a compra da aeronave. Não conseguiu nem concluir a pergunta. Não se sabe se foi proposital, para fugir a uma ampliação da rejeição. Falou em “episódio nebuloso” do avião.

Foto: JC Imagem

O tiro saiu pela culatra, uma vez que a produção concedeu ao socialista direito de resposta e foi ironizado. “Cada vez que cai nas pesquisas perde mais a razão. Não vamos entrar neste jogo baixo”, aproveitou Paulo Câmara, para revidar.

Em sua defesa, Armando Monteiro disse que não injuriou nem difamou. “Não se proteja com as figuras que passaram”, retrucou, sem citar o nome de Eduardo Campos. “Vamos respeitar quem não está mais aqui”, apressou-se Paulo, tentando jogar o petebista contra falecido, no debate.

Falta ao petebista uma bala de prata contra o socialista, nesta questão do avião.

Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem.

No ataque, chegou a chamar Paulo Câmara de demagogo e usou de ironia ao desacreditar a proposta de dobrar o salário dos professores, para um piso de R$ 4 mil, em quatro anos.

“Você como candidato foi generoso. Como secretário da fazenda, você foi perverso com o funcionalismo”, ironizou. “Já teve oportunidade de fazer. o governo teve muita arrecadação e ainda assim não proporcionou melhor salário”, comparou.

Um dos problemas de Armando, ao tentar desconstruir Paulo Câmara, é medir o nível do ataque, de modo que não pareça arrogância ao eleitor. Na hora em que trocaram farpas sobre experiência e preparo, no quarto bloco, em que Paulo Câmara contrapôs Geraldo Julio e Dilma, essa linha divisória ficou visível. “Você teve experiência na burocracia, mas liderança pública não se herda. Se você perseverar, um dia terá habilitação. O problema é que você foi ungido”, disse, inicialmente.

“Você é um rapaz aplicado, mas não tem lastro político. Não bata no peito dizendo que é líder, pois é herdeiro. A você seria atribuído a gerência. Você não tem perfil (de líder)”, sapecou o petebista.

E se o eleitor desejar homenagear Eduardo votando no herdeiro sem perfil de líder, quem poderá impedir?

Já o candidato do PSOL, Zé Gomes, não foi além do que se esperava dele. No bloco final, até o adversário Armando Monteiro pareceu perder a paciência e deu-lhe um coice, chamando-o de populista e demagogo. Bingo. Os dois falavam de linhas de ônibus. Gomes sugeriu que Armando teria ‘comprometimento’ com empresários do setor. Armando ainda ironizou questionando se o adversário falava em uma proposta estatizante.

Antes disto, já havia sido desmascarado pela pergunta certeira da jornalista Inês Calado, do NE10, que comparou suas críticas generalizadas, sem propostas claras ou viáveis além de velhos chavões, em contraponto ao pífio desempenho eleitoral. Sobrou para Gomes reclamar dos 72 segundos e das coligações que lhe roubam mais tempo na tv. A repórter ainda perguntou, com acuidade, se o puro PSOL tinha se aliado ao PMN com o objetivo de apenas eleger um nome para a Alepe. Bingo.

No embate com o mesmo nanico, ao responder sobre mobilidade na Região Metropolitana do Recife (RMR), o socialista Paulo Câmara acabou cunhando um dos motes do debate. “Você e Armando gostam de botar gosto ruim, mas não adianta botar gosto ruim”. Armando Monteiro ainda usou uma pergunta sobre saúde no interior, feita por um telespectador, para perguntar se era gosto ruim da população, mas Paulo Câmara ainda teve oportunidade de devolver, por ter a última palavra.

O próximo debate televisivo será na TV Clube, na sexta-feira. Vamos ver como os candidatos e as coisas se comportam até lá.

Informações: Blog do Jamildo


Dilma tem 36%, Marina, 30%, e Aécio, 19%, aponta pesquisa Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (16) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para a Presidência da República:
- Dilma Rousseff (PT): 36%
- Marina Silva (PSB): 30%
- Aécio Neves (PSDB): 19%
- Pastor Everaldo (PSC): 1%
- Zé Maria (PSTU): 0%*
- Luciana Genro (PSOL): 0%*
- Eduardo Jorge (PV): 0%*
- Rui Costa Pimenta (PCO): 0%*
- Eymael (PSDC): 0%*
- Levy Fidelix (PRTB): 0%*
- Mauro Iasi (PCB): 0%*
- Branco/nulo: 7%
- Não sabe/não respondeu: 6%

* Cada um dos sete indicados com 0% não atingiu 1% das intenções de voto; somados, eles têm 1%

No levantamento anterior do instituto, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgado no dia 12, Dilma tinha 39%, Marina, 31%, e Aécio, 15%.

Segundo turno

O Ibope também simulou três cenários de segundo turno. São eles:

- Marina Silva: 43%
- Dilma Rousseff: 40%
- Branco/nulo: 11%
- Não sabe/não respondeu: 6%

- Dilma Rousseff: 44%
- Aécio Neves: 37%
- Branco/nulo: 12%
- Não sabe/não respondeu: 6%

- Marina Silva: 48%
- Aécio Neves: 30%
- Branco/nulo: 15%
- Não sabe/não respondeu: 8%

O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 204 municípios do país entre os dias 13 e 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-00657/2014.

Espontânea
Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:
- Dilma Rousseff (PT): 31%
- Marina Silva (PSB): 24%
- Aécio Neves (PSDB): 15%
- Outros: 1%
- Branco/nulo: 10%
- Não sabe/não respondeu: 18%

Rejeição
De acordo com a pesquisa, a presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Nesse item da pesquisa, os entrevistados puderam escolher mais de um nome.

- Dilma Roussef: 32%
- Aécio Neves: 19%
- Pastor Everaldo: 17%
- Marina Silva: 14%
- Levy Fidelix: 12%
- Zé Maria: 12%
- Eymael: 11%
- Luciana Genro: 11%
- Mauro Iasi  : 10%
- Rui Costa Pimenta: 10%
- Eduardo Jorge: 9%


Ministro do TSE determina que site de apoio a Dilma seja retirado do ar

TSE determinou que o site "Dilma Muda Mais" seja retirado do ar (Foto: Reprodução)

O ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta terça-feira (16) que o site “Muda mais”, que apoia a candidatura da presidente Dilma Rousseff (PT) à reeleição, seja retirado imediatamente do ar. O site é de responsabilidade do ex-ministro da Comunicação Social Franklin Martins, que comanda a campanha de Dilma na internet.

A decisão do ministro, em caráter liminar (provisório), atende a uma reclamação apresentada pela coligação encabeçada pela candidata do PSB à Presidência, Marina Silva.

Procurado, o ex-ministro Franklin Martins, responsável pelo site “Muda Mais”, informou que o departamento jurídico da campanha da presidente Dilma deverá falar sobre o assunto. O G1 procurou a assessoria da campanha, mas não obteve resposta até a última atualização da reportagem.

O TSE informou que a campanha de Marina Silva alega que o “Muda mais” e o site oficial da campanha presidencial do PT são mantidos e alimentados pela mesma equipe, “com o mesmo grau de sofisticação e com conteúdos exclusivos e semelhantes entre si”.

Ainda de acordo com o tribunal eleitoral, o ministro Herman Benjamin destacou em seu despacho que o portal “Muda mais” não é registrado na Justiça Eleitoral por Dilma, pelo PT ou mesmo pela coligação “Com a força do povo”.

Na decisão, o ministro também afirma que a propaganda eleitoral na internet, autorizada desde o dia 5 de julho, pode ser realizada nos portais do candidato, do partido ou da coligação, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, desde que o provedor esteja registrado no país.

“O ministro disse entender que o sítio www.mudamais.com transgride a proibição conferida pela legislação pois, apesar de estar desvinculado da campanha da candidata Dilma Rousseff e registrado em nome de pessoa jurídica (Polis Propaganda & Marketing Ltda.), continua veiculando propaganda eleitoral (irregular) em favor daquela [Dilma]”, destacou o TSE em nota.

Multa
A liminar concedida nesta terça pelo ministro Herman Benjamin ainda precisa ser analisada pelo plenário do TSE. Segundo informou o TSE, se os responsáveis pelos sites forem responsabilizados, pode ser aplicada uma multa entre R$ 5 mil e R$ 30 mil.

Conforme o tribunal, o ministro afirmou no despacho que a manutenção do site “por pessoa jurídica não identificada como personagem do pleito, com forte conteúdo eleitoral favorável a um dos candidatos, poderá provocar desequilíbrio na disputa eleitoral.”


Em PE, Paulo Câmara tem 38% e Armando Monteiro, 32%, diz Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (16) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para o governo de Pernambuco:

Intenções de voto em PE
Veja números da pesquisa Ibope
Paulo Câmara (PSB): 38%

Armando Monteiro (PTB): 32%

Zé Gomes (PSOL): 1%

Pantaleão (PCO): 1%

Miguel Anacleto (PCB): 0%

Jair Pedro (PSTU): 0%

Brancos e nulos: 11%

Não souberam responder: 16%

No levantamento anterior realizado pelo instituto, em agosto, Armando Monteiro aparecia com 38% e Paulo Câmara, com 29%. Encomendada pela TV Globo, a pesquisa é a terceira do Ibope após o registro das candidaturas.

Segundo turno
O Ibope fez uma simulação de segundo turno entre Paulo Câmara e Armando Monteiro. Os resultados são os seguintes:

Paulo Câmara (PSB): 40%
Armando Monteiro (PTB): 34%
Brancos e nulos: 11%
Não souberam responder: 16%

Realizada entre os dias 12 e 15 de setembro, a pesquisa contou com 2.002 entrevistas em 82 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo número PE-00025/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00652/2014.

Rejeição
O Ibope também pesquisou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Confira abaixo:

Pantaleão (PCO): 32%
Zé Gomes (PSOL): 28%
Jair Pedro (PSTU): 26%
Miguel Anacleto (PCB): 23%
Armando Monteiro (PTB): 21%
Paulo Câmara (PSB): 18%
Poderia votar em todos: 10%
Não sabe ou não respondeu: 22%


Na disputa ao Senado, Fernando encosta em João Paulo: 32% a , 27%, diz Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (16) aponta que o candidato João Paulo (PT) tem 32% das intenções de voto para o Senado. Na sequência, o socialista Fernando Bezerra Coelho (PSB) aparece com 27%. Simone Fontana (PSTU), Albanise Pires (PSOL) e Oxis (PCB) aparecem com 1% cada.

Os que não souberam responder somam 22% e aqueles que declaram voto branco ou nulo são 16%.

No levantamento anterior realizado pelo instituto, em agosto, João Paulo aparecia com 35% e Fernando Bezerra Coelho, com 22%. Encomendada pela TV Globo, a pesquisa é a terceira do Ibope após o registro das candidaturas.

Veja os números do Ibope:
João Paulo (PT) – 32% das intenções de voto
Fernando Bezerra Coelho (PSB) – 27%
Simone Fontana (PSTU) – 1%
Albanise Pires (PSOL) – 1%
Oxis (PCB) – 1%
Brancos e nulos – 16%
Não sabe ou não respondeu – 22%

Realizada entre os dias 12 e 15 de setembro, a pesquisa contou com 2.002 entrevistas em 82 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo número PE-00025/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00652/2014.


O candidato dos sonhos dos banqueiros não é Marina. É Lula.

Me engana que eu gosto

Eliane Catanhede, na Folha de São Paulo desta terça

Marketing é coisa de gênio e nós, meros mortais, não somos gênios. Mas também não precisam tratar os 145 milhões de eleitores do país como idiotas.

Querer vender Marina como “elite branca”, quem sabe como “elite branca de olhos azuis”, quem sabe até como “elite branca de olhos azuis do capitalismo paulista”, vai colar?

Depois do sociólogo, do migrante nordestino e da primeira mulher, faz sentido uma mulher negra, saída dos cafundós do Acre e alfabetizada a duras penas aos 16 anos. Um “Lula de saias”. Daí o pânico da campanha de Dilma. O poder da imagem de Marina, a força da sua simbiose com a maioria do povo brasileiro.

E lá vem Dilma e sua propaganda deformando a cor, a cara, a imagem, a história e as intenções de Marina, adulterada como representante de banqueiros e um perigo para o prato de comida dos pobres. E lá vem João Pedro Stedile, do MST, ameaçando invadir tudo, todo dia, se ela vencer. É a implosão da Marina real e a construção da Marina “de direita”.

Será que os eleitores brasileiros somos tão imbecis, caímos como patinhos em qualquer lorota? Ou será que só cai quem é manipulável e quem está pendurado nas boquinhas e verbonas, na promiscuidade entre o público e o privado? Para cair no engodo, na “genialidade” da propaganda, só por ignorância ou por má-fé, pura e simples.

Se Lula saiu de um casebre do interior de Pernambuco, Marina emergiu de um seringal do Acre. Se Lula fez curso de torneiro mecânico, Marina teve de lavar chão para formar-se em história. Se Lula se tornou o grande líder sindical no Sul Maravilha, Marina impõe-se na órbita do ambientalista Chico Mendes.

A diferença é que Lula se rendeu aos lucros estratosféricos do setor financeiro, aos jatinhos das empreiteiras, às vantagens camaradas para filhos e noras e aos convescotes das oligarquias políticas mais atrasadas. Logo, o candidato dos sonhos dos banqueiros não é Marina. É Lula.