Sertânia registra caso de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica

Pernambuco notificou, nesta terça-feira (19), mais dois casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), doença rara associada à Covid-19. Com os novos registros, o estado totaliza 28 ocorrências. Os pacientes são duas crianças de 2 anos, moradoras de Paulista, no Grande Recife, e Sertânia, no Sertão.

A criança moradora de Paulista, do sexo masculino, começou a ter sintomas semelhantes aos da Covid-19 no dia 21 de dezembro de 2020. Ele teve teste rápido positivo para o coronavírus e, no dia 4 de janeiro, teve alta hospitalar, sem sequelas.

O paciente de Sertânia, também um menino, apresentou sintomas suspeitos para Covid-19 no dia 28 de dezembro de 2020 e também teve teste rápido positivo para a doença. Ele teve alta hospitalar no dia 5 de janeiro, sem sequelas.

Do total de 28 pacientes com SIM-P em Pernambuco, 26 ficaram curados e dois morreram. Ao todo, 27 deles tiveram resultado positivo para a Covid-19 e um teve contato comprovado com pessoas que tiveram a doença. Foram, até o último balanço, 16 meninos e 12 meninas, com idades entre 1 e 14 anos.

Dos 28 casos, 25 são de Pernambuco e dois são de Alagoas e Piauí, que procuraram atendimento médico no estado.

As cidades pernambucanas com registros são: Recife (7, entre eles os 2 óbitos), Caruaru (2), Ipojuca (1), Jaboatão dos Guararapes (3), Goiana (1), Sirinhaém (1), Joaquim Nabuco (1), Limoeiro (1), Timbaúba (1), Flores (1), Santa Cruz do Capibaribe (1), Vitória de Santo Antão (1), Serra Talhada (1), Sertânia (1) e Paulista (2) e Petrolina (1).

A SIM-P se apresenta com sintomas como febre insistente, dores abdominais, manchas na pele, irritação dos olhos, entre outros sinais. A notificação foi instituída no início de agosto e os serviços de saúde começaram a fazer um resgate dos casos que podem se enquadrar com a doença.

A notificação da síndrome foi instituída no início de agosto de 2020 e os serviços de saúde, além de atentos para ocorrência de casos novos, estão resgatando ocorrências desde o começo da pandemia.

Informações: G1

Deixe uma resposta