Paulo Câmara avança na reforma do Governo do Estado

A reforma administrativa que se impôs ao governador Paulo Câmara (PSB) por conta das eleições municipais de 2020 tem dividido a atenção do gestor socialista neste mês de janeiro. Com o desembarque do PT do governo de Pernambuco e a vacância da titularidade da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Paulo Câmara precisou sentar com aliados para redefinir o nome do seu novo auxiliar.

Ontem, após reunião com o deputado federal Eduardo da Fonte (PP) e o deputado estadual licenciado Claudiano Filho (PP), o nome de Claudiano foi confirmado para chefiar a pasta. O deputado estadual Clóvis Paiva, líder do PP na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), assegurou que a posse do novo secretário está marcada para este mês.

“Ficou marcado para dia 29, sexta-feira. Agora não sabemos se é de manhã ou à tarde ainda. Mas está confirmado. Claudiano Filho será o secretário de agricultura. Isso está confirmado já”, disse. O progressista também comemorou a indicação do partido para chefiar mais um posto no primeiro escalão do governo do Estado.

“O partido sempre esteve com o governo. Foi um dos primeiros a declarar apoio a João Campos e é um partido que hoje tem 11 deputados estaduais, quatro vereadores e tem Eduardo da Fonte como o líder maior e presidente do partido. Então, é um partido grande e essa secretaria atende a necessidade de composição do partido. O partido já merecia uma atenção maior por parte do governo”, avaliou Clóvis Paiva.

Atualmente, o PP possui na cota das indicações políticas, a secretaria de de políticas de prevenção à violência e às drogas, comandada por Cloves Benevides. A pasta tem forte influência cristã em suas fileiras. Segundo uma fonte do palácio, outras legendas como o MDB, Avante, PDT e PSD, também já haviam manifestado interesse em ser agraciado com uma eventual reforma administrativa.

A expectativa das legendas também paira sobre uma mudança no comando da assessoria especial, da Secretaria de Desenvolvimento Social e da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Educação. As modificações seguem sendo debatidas nos bastidores do Palácio do Campo das Princesas mesmo com os esforços do governo centrados na distribuição da vacina da Covid-19.

Além desta secretaria, outro posto que ficou vago após as eleições – sobretudo após o resultado do Recife – foi a da chefe de gabinete. Com a vitória do agora ex-deputado, João Campos, na prefeitura da Capital, o primeiro suplente do PSB na Câmara dos deputados era o chefe de Gabinete do governador Paulo Câmara, Milton Coelho (PSB). O posto de Milton segue cobiçado por partidos da base aliada, mas ainda sem um nome cravado para assumir o cargo.

Deixe uma resposta