10º Festival de Cinema de Triunfo divulga programação; confira

O Festival de Cinema de Triunfo chega à sua décima edição celebrando a mais recente conquista do audiovisual pernambucano: o funcionamento regular do Cine Theatro Guarany. Desde o dia 09 de junho de 2017, o equipamento que é patrimônio histórico de Pernambuco está de volta ao cotidiano cultural e turístico do sertão, com sessões de quinta a domingo.

De 7 a 12 de agosto, o Guarany recebe 35 filmes, de nove estados, que concorrem a R$ 24 mil em prêmios e ao Troféu Caretas nas categorias de curta e longa-metragem. Contando com a parceria de festivais independentes, exibições especiais e mostras voltadas ao público infantil também ganham a tela, contribuindo para a divulgação da contemporânea produção brasileira e para a ampliação do repertório cultural da nossa gente.

A realização é do Governo de Pernambuco (Secult-PE e Fundarpe), em parceria com as Prefeitura de Triunfo, Serra Talhada e Afogados da Ingazeira e ainda com o SESC, Cepe Editora, TV Pernambuco e Consulado Geral da França no Brasil. Em mais uma edição, o Festival rompe as fronteiras do território de Triunfo e alcança com oficinas e exibições itinerantes os municípios vizinhos. De acordo com o Secretário Estadual de Cultura, Marcelino Granja, “um reconhecimento aos realizadores e ao público sertanejo, que mantêm instigante o cenário da produção audiovisual na região”.

Três ações de formação cultural gratuitas vão sensibilizar adolescentes e educadores.  “O workshop de Crítica Cinematográfica Multimídia vai orientar o júri popular do Festival; a oficina sobre Utilização do cinema em sala de aula pretende aproximar a sétima arte do cotidiano escolar; e o minicurso Cinemando – Teoria e Prática propõe uma imersão que incentive o olhar crítico sobre conteúdos audiovisuais do cinema, da TV e também da internet”, comenta Márcia Souto, Presidente da Fundarpe.

Reforçando sua histórica importância para reflexão sobre políticas públicas de audiovisual, a edição do Festival este ano abre espaço para o diálogo sobre os temas: “A produção audiovisual e os desafios da interiorização”, “Os desafios e perspectivas para o fortalecimento das carreiras de mulheres no Audiovisual” e ainda “Ocupando o Cine Theatro Guarany”.

Este último, reunindo parceiros como o SESC e a Prefeitura de Triunfo, além de representantes do movimento cultural da região e do Grupo de Trabalho Cinema de Rua. “Um momento importante para pactuação de estratégias e responsabilidades compartilhadas entre poder público, instituições culturais e sociedade civil”, na avaliação de Silvana Meireles, Secretária Executiva Estadual de Cultura.

HOMENAGEM

Todas as sessões e encontros do Festival vão acontecer em homenagem a uma joia do cinema brasileiro, a atriz paraibana Zezita Matos. Um reconhecimento por seus quase 60 anos de carreira no teatro, no cinema e na televisão. Nascida na cidade de Pilar, em 1941, Zezita iniciou aos 16 anos sua trajetória teatral e por conta da imensa dedicação à linguagem, atuou em quase 40 espetáculos e ganhou o título carinhoso de Primeira-dama do Teatro Paraibano. Seu currículo é marcado pela forte presença no cinema, com destaque para os pernambucanos “Cinema, Aspirinas e Urubus”, “Baixio das Bestas”, “História da Eternidade”, “Ferrolho” e “Boa sorte, meu amor”. Sua mais recente participação na teledramaturgia brasileira foi em 2016, interpretando a personagem Piedade na novela “Velho Chico”.

“É com muita alegria que o Festival reverencia o talento e a força de Zezita que, prestes a completar 76 anos, mantém-se ativa e envolvida com projetos culturais de diferentes linguagens artísticas. Sem dúvida, uma inspiração para todos que fazem o cinema brasileiro e uma especial reverência às mulheres atrizes e realizadoras da nossa história”, comenta Milena Evangelista, coordenadora de Audiovisual da Secult-PE.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA
Local: Cine Theatro Guarany
Entrada Gratuita, com retirada de ingressos 1 hora antes de cada sessão
Cidade: Triunfo/PE

SEGUNDA-FEIRA, 07/08

18h30 – Cerimônia de Abertura
Homenagem a atriz Zezita Matos

Programa 1: Mostra Competitiva de Curta-metragem
Classificação: Livre
Sales e salas (Documentário, 11 minutos, 2016, CE), de Ravi Carvalho
Nanã (Ficção, 25 minutos, 2016, PE), de Rafael de Amorim Albuquerque
Frequências (Documentário, 19 minutos, 2017, PE), de Adalberto Oliveira
Manancial (Ficção, 7 minutos, 2016, PB), de Bruno Soares

Programa 2: Mostra Competitiva de Longa-metragem Nacional
Classificação: Livre
Super Orquestra Arcoverdense de Ritmos Americanos (Documentário, 79 minutos,
2016, PE), de Sérgio Oliveira

TERÇA-FEIRA, 08/08

9h30 – Sessão Especial Festival Criancine
Classificação: Livre

13h30 – Sessão Cineclubista – Fepec
Exibição de filmes seguida de debate

18h30 – Programa 3: Mostra Competitiva de Curta-metragem
Classificação: 18 anos
FotogrÁfrica (Documentário, 25 minutos, 2016, PE), de Tila Chitunda
O som do silêncio (Ficção, 17 minutos, 2017, BA), de David Aynan
Nina (Ficção, 19 minutos, 2016, PE), de Alice Gouveia
Atrito (Ficção, 18 minutos, 2017, PB), de Diego Lima

Programa 4: Mostra Competitiva de Longa-metragem Nacional
Classificação: 14 anos
Mulher do Pai (Ficção, 94 minutos, 2016, RS), de Cristiane Oliveira

QUARTA-FEIRA, 09/08

09h30 – Sessão Especial Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis
Classificação: Livre

13h30 – Sessão Cineclubista – Fepec
Exibição de filmes seguida de debate

18h30 – Programa 5: Mostra Competitiva de Curta-metragem
Classificação: 12 anos
Mãos de barro (Documentário, 20 minutos, 2016, PE), de Alexandre Pankararu e Graciela Guarani
Iluminadas (Documentário, 13 minutos, 2016, PE), de Gabi Saegesser
O Ex-mágico (Animação, 11 minutos, 2016, PE), de Mauricio Nunes e Olímpio Costa
O Brado retumbante (Documentário, 25 minutos, 2016, CE), de Fábio Rogério e Marcelo Ikeda
Comissão de vendas (Documentário, 18 minutos, 2016, SP), de Miguel Antunes Ramos

Programa 6: Mostra Competitiva de Longa-metragem Nacional
Classificação: Livre
Câmara de Espelhos (Documentário, 79 minutos, 2016, PE), de Dea Ferraz

QUINTA-FEIRA, 10/08

9h30 – Sessão Especial Mostra de Animação Pernambucana
Classificação: Livre

13h30 – Exibição Especial Acervo Sesc/PE
O mundo dos pequenos (Animação, 94 minutos, 2012, Japão), de Hiromasa Yonebayashi
Classificação: Livre

18h30 – Programa 7: Mostra Competitiva de Curta-metragem
Classificação 18 anos
Alumiar (Documentário, 20 minutos, 2016, PE), de Bersa Mendes e Rafael Martins
Autofagia (Ficção, 11 minutos, 2016, PE), de Felipe Soares
Vando vulgo Vedita (Ficção, 20 minutos, 2017, CE), de Andréia Pires e Leonardo Mouramateus
Baunilha (Documentário, 13 minutos, 2017, PE), de Leo Tabosa
O Porteiro do dia (Ficção, 25 minutos, 2016, PE), de Fábio Leal

Programa 8: Mostra Competitiva de Longa-metragem Nacional
Classificação: 12 anos
Meu corpo é político (Documentário, 72 minutos, 2017, SP), de Alice Riff

SEXTA-FEIRA, 11/08

9h30 – Sessão Especial Projeto Cinema no Interior
Classificação: Livre

13h30 – Programa 9: Mostra Competitiva de Curta-metragem Infanto-juvenil
Classificação: Livre
O Bagre de bolas (Animação, 5 minutos, 2017, GO), de Luiz Botosso e Thiago Veiga
Òrun Àiyé a criação do mundo (Animação, 12 minutos, 2015, BA) de Cintia Maria e Jamile Coelho
O Último Índio (Animação, 12 minutos, 2017, RS), de Maria Tereza Murer
Vento (Animação, 13 minutos, 2017, RJ), de Betânia Furtado
A piscina de Caíque (Ficção, 15 minutos, 2017, GO), de Raphael Gustavo da Silva
A orelha encantada ou alma de gato (Animação, 9 minutos, 2017, PE), de Paulo Leonardo
O menino leão e a menina coruja (Ficção, 16 minutos 2017, DF), de Renan Montenegro

18h30 – Programa 10: Mostra Competitiva de Curta-metragem 
Classificação: 14 anos
Sob o delírio de agosto (Ficção, 20 minutos, 2017, PE), de Carlos Kamara e Karla Ferreira
Fantasma cidade Fantasma (Ficção, 13 minutos, 2016, DF), de Amanda Devulsky e Pedro B.
Procura-se Irenice (Documentário, 25 minutos, 2016, SP), de Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça
Lição de casa (Ficção, 9 minutos, 2016, RJ), de Pedro Murad
Embaraço (Ficção, 21 minutos, 2016, SP), de Fernando Rick

Programa 11: Mostra Competitiva de Longa-metragem Nacional
Classificação: 14 anos
Homem livre (Ficção, 84 minutos, 2017, RJ), de Álvaro Furloni

SÁBADO, 12/08

14h – Exibição Especial
Classificação: 14 anos
O Silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras (Documentário, 78 minutos, 2016, PE), de Petrônio de Lorena

19h30 – Cerimônia de Encerramento
Exibição do episódio da Série Nosso Ofício: O Bodegueiro e A Confiança, de Tuca Siqueira
Classificação: Livre

ENCONTROS DE CINEMA

Debates com os realizadores do Festival
Todos os dias, sempre às 10h | Mediação: Tiago Montenegro (jornalistas e editor do portal Cultura.PE)
Local: Pousada Alpes (Triunfo)

Debates, Encontros e Roda de Diálogos

QUINTA-FEIRA, 10/08
15h30 – A produção audiovisual e os desafios da interiorização
Participantes: Alexandre Soares (Diretor do Festival Curta Taquary), William Tenório (Mostra Pajeú de Cinema e Pajeú Filmes), Kennel Rogis (Cineasta e Coordenador do Festival Curta Coremas), Laércio Filho (Cineasta), Marcos Carvalho (Projeto Cinema no Interior e Montserrat Filmes), Mery Lemos (Cineasta) e Milena Evangelista (Secult/PE)
Mediação: Tarciana Portella – Secult/PE
Local: Pousada Alpes (Rua Galdino Diniz, 250, Triunfo)

SEXTA-FEIRA, 11/08
15h30 – Desafios e perspectivas para o fortalecimento das carreiras de mulheres no Audiovisual
Participantes: Alice Gouveia (Cineasta e Pesquisadora UFPE), Beth de Oxum (Produtora Cultural), Cintia Maria (Animadora), Daniela Fernandes (Produtora Cultural / Nordeste Lab), Déa Ferraz (Cineasta), Graciela Guarany (Realizadora Indígena), Tuca Siqueira (Cineasta), Yanara Galvão (Diretoria Fepec)
Mediação: Janaína Guedes – Secult/PE
Local: Pousada Alpes (Rua Galdino Diniz, 250, Triunfo)

SÁBADO 12/08
15h30 – Roda de Diálogos: Ocupando o Cine Theatro Guarany
Participantes: Bruna Florie (Coletivo Pantim), Daiane Nonato (Segmento Dança), Dênis Gomes (Produtor Cultural), Diana Rodrigues (Historiadora), Ésia Guerra (Gestora Cineteatro Guarany), José Manoel (Sesc), Geraldo Pinho (Programador), Márcia Souto (Fundarpe), Nilton Madureira (Sec. de Cultura / Triunfo), Paulo Henrique (Segmento Música), Rodrigo Aquino (Segmento Design).
Mediação: Silvana Meirelles – Secult/PE
Local: Cine Theatro Guarany

Exibições Itinerantes

Afogados da Ingazeira

TERÇA-FEIRA, 08/08

19h – Exibição Especial Gadjo Dilo (Ficção, 1997, França), de Tony Gatlif
Seguida de debate com o Crítico Alexandre Figueirôa
Classificação: 16 anos
Local: Cine São José

QUARTA-FEIRA, 09/08
8h – Exibição Especial Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis
Classificação: Livre
Local: Cine São José

Serra Talhada

QUARTA-FEIRA, 09/08
19h – Exibição Especial Gadjo Dilo (Ficção, 1997, França), de Tony Gatlif
Seguida de debate com o Crítico Alexandre Figueirôa
Classificação: 16 anos
Local: CEU das Artes (Bairro Caxixola)

QUINTA-FEIRA, 10/08
19h – Exibição + Debate
O Silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras (Documentário, 78 minutos, 2016, PE), de Petrônio de Lorena
Classificação: 14 anos
Local: CEU das Artes (Bairro Caxixola)

SEXTA-FEIRA, 11/08
19h – Exibição Especial Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis
Classificação: Livre
Local: CEU das Artes (Bairro Caxixola)

COMISSÕES DE SELEÇÃO

Longa-metragem Nacional: João Marcelo Pontes Ferraz, Milena Evangelista e Thiago Hora
Curta-metragem Nacional e Infanto-juvenil: Amanda Beça, Milena Evangelista, Raquel do Monte e Shirley Hunther
Curta-metragem Pernambucano e dos Sertões: Laíse Cristina de Queiroz, Marcos Buccini, Matheus Lins e Priscila Urpia

JÚRI OFICIAL CURTA-METRAGEM

Almir Guilhermino da Silva – É Jornalista, Mestre em Cinema, pela USP, Doutor em Literatura, pela UFAL e Ph.D. em Antropologia Visual, pela Universidade do Minho/Portugal. É professor convidado da pós em Estudos Cinematográficos, da UNICAP e durante 3 décadas foi titular de Cinema no Curso de Comunicação da UFAL. Dirige curtas metragens, é roteirista e tem dois livros publicados: Dom Casmurro: a encenação de um julgamento e O Dom da Saudade.

Cecilia da Fonte – É Formada em comunicação na Universidade Católica de Pernambuco e estudou cinema em Buenos Aires, onde se especializou em direção e roteiro na Escuela Nacional de Realización y Experimentación Cinematográfica e no Centro de Formación Profesional del SICA. Na Venezuela, Realizou o diplomado em Documentário de Creación pela Escuela Iberoamericana de documental. Viveu em Angola e Brasília, onde trabalhou com cinema e televisão como assistente de direção. Hoje atua em Recife, como assistente de direção, roteirista e diretora em projetos autorais. Seu primeiro curta-metragem, a ficção “SEXTA SÉRIE” circulou por mais de vinte festivais nacionais e internacionais. Está em finalização do longa-metragem “PARQUELÂNDIA”, e em desenvolvimento do “VENTRE DA BALEIA”, ambos documentários que assina o roteiro e direção.

Laercio Filho – É professor de História formado pela UFPB, com Pós-Graduação em História e Geopolítica pela FIP. Produtor cultural com atuação nas áreas de: teatro, música, literatura, cinema e comunicação. No Cinema, é roteirista e diretor dos filmes: Memória Bendita (2005), O Apóstolo do Sertão (2008), Antoninha (2011); As Trapalhadas de João Teimoso II (2011); Herdeiras da Mentira (2014); Morte minha companheira (2016) e Uma Aventura na Caatinga – Animação (2017). Integrou comissões julgadoras de festivais de cinema e desde 2010 coordena a Mostra Acauã do Audiovisual Paraibano desde 2010.

JÚRI OFICIAL LONGA-METRAGEM

Alexandre Figueirôa – é Doutor em Estudos Cinematográficos e Audiovisuais pela Université Paris 3. É crítico e pesquisador de cinema, professor adjunto do curso de Jornalismo, do curso de Especialização em Estudos Cinematográficos e do mestrado em Indústrias Criativas da Universidade Católica de Pernambuco. Publicou, entre outros, os livros O Super 8 em Pernambuco (Fundarpe, 1992); Cinema Pernambucano: uma História em Ciclos (FCCR, 2000); La Vague du Cinema Novo en France, Fut-elle une Invention de la Critique? (L’Harmattan, 2000); Cinema Novo, a Onda do Jovem Cinema e sua Recepção na França (Papirus, 2004); Guel Arraes: um Inventor no Audiovisual Brasileiro (CEPE, 2008); O Documentário em Pernambuco no Século XX , com Claudio Bezerra (2016). Realizou os documentários Eternamente Ágora (1987), com George Moura; Eternamente Elza (2013), com Paulo Feitosa; e Tudo se Liga, Siga (2015), com Sérgio Dantas.

Stephen Bocskay – É professor visitante de estudos latino-americanos na Universidade Federal de Pernambuco. Fez doutorado e mestrado em Estudos Luso-Brasileiros pela Universidade de Brown (2012; 2009) e mestrado e graduação em literaturas hispânicas pela Universidade de Cornell (2005;1999). De 2012 a 2015, lecionou Estudos Brasileiros na Universidade de Harvard. Seu manuscrito de livro, Samba and Afro-Politics During the Brazilian Military Dictatorship, está sob consideração para publicação. Suas áreas de pesquisa incluem cinema e mídia; música e cultura popular; literaturas hispânica e lusófona e estudos africanos.

Tuca Siqueira – É diretora e roteirista pernambucana e em 14 anos de carreira assina nove filmes. A diretora é pós-graduada em Estudos Cinematográficos, além de outras formações como EICTV (Cuba) e participação em laboratórios como BRLab e programas como cinema en developement – Cine Latino/ Toulouse- França. Tuca integrou júris e comissões de seleção de festivais e em 2017 lança seu segundo longa-metragem.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

 
Scroll To Top